Meu nome é Najla, tenho 19 anos, já sofri, já sorri, já chorei, já abracei, já errei, já beijei, já amei, já deixei de amar, já me decepcionei, já decepcionei alguém, já fiz loucuras. Bom... Tive todos os sentimentos possíveis, e apesar da pouca idade já passei por uma pá de coisas boas e ruins. Sou chata e ao mesmo tempo simpática, sou irritante, ciumenta, idiota, retardada, filha da puta amiga, companheira, tenho um coração enorme, sou fria e ao mesmo tempo carinhosa, educada com quem eu quero e com quem merece. Sou daquelas garotas que preferem acreditar nos contos de fadas do que cair na porra da vida real, palavra pequena mais que algumas vezes fode com a gente. E aí? Vai querer mesmo me conhecer? || Conheci o tumblr faz um puta tempo, e nossa... Eu nunca imaginaria que uma simples rede social tinha a capacidade de dar vida a uma pessoa que já não tinha mais esperança; uma rede social que uni várias pessoas e cada uma com seu talento. Antes disso tudo eu era apenas uma menina sem graça, sem animo, sem objetivos, sem amigos, fechada e por incrível que pareça muito triste. Bom, inicialmente fiz esse tumblr para mostrar um pouco do que sinto, do que acho, mas de algum tempo para cá vim percebendo que o meu tumblr na verdade é dedicado à vocês, e eu espero que como eu, você também ache seus objetivos, palavras de conforto, amigos e tudo o que esse mundo de poetas, fotógrafos, humoristas, editores pode te oferecer, e assim te apresento o Tumblr a rede social que mudou a minha vida. '¹ .." Porque te dá um medo filha da puta: Ser feliz, medo de amar, medo de ser bom. Tudo que faz bem pra gente, a gente tem medo." Najla Brenda
theme by dilacerar; base por antigones com alguns detalhes originais da des-controladamente. Não retire os créditos, não use como base. Quer copiar? Copia, exibe o código fonte, sabe isso cansa, isso da uma raiva que você não tem nem noção, mas eu vou ficar sabendo, e vou denunciar você pro support do tumblr, não tô brincando, ta avisado flw.
Never give up dreaming.
' engole teu coração e se amapor dentro. '

As pessoas perdem a maior parte de suas vidas sendo superficiais e criando histórias sem fundamentos, a troco de que? Entrar na creche? 



Procure alguém que te faça sorrir, porque para te fazer chorar é o que não falta. 



Vem cá? Dói usar o cérebro é? 



Se eu sumi? Eu? Não moro mais no mesmo lugar, mais frequento os mesmo lugares, continuo com as mesmas redes sociais, continuo com o mesmo número de celular, continuo no mesmo colégio, continuo no mesmo bairro, continuo com os mesmos familiares, agora me diz… Quando que você me procurou mesmo?



Eu gosto de pessoas legais, não de pessoas fingidas. 









Olhares? Te enganam. Sorrisos? Te convencem, mais nem sempre são verdadeiros.
                                                                                          (tellerof-dreams)

Olhares? Te enganam. Sorrisos? Te convencem, mais nem sempre são verdadeiros.

                                                                                          (tellerof-dreams)



Minha mãe desde pequena me explicou que vivemos em uma sociedade, e que não existe só uma verdade(no caso a nossa), existem outras verdades e de que eu tenho que ouvir as pessoas pois eu nem sempre vou estar certa, posso até não concordar mais respeito, minha mãe me deu educação suficiente para ficar calada ouvir as pessoas e questionar de forma educada caso não concordasse com algo, ela também me ensinou a ter princípios e valores e por sinal os melhores, e isso é o que está faltando para muitas pessoas, ética, princípios, valores e respeito. É por conta dessas pessoas que o mundo está ficando no seu nível máximo de decadência.



Deus escreve certo com linhas certas, nós que teimamos em entorta-lás. 



Oito fatos sobre mim: 1: odeio ser bajulada; 2: não faço perguntas que não me dizem respeito e cuido apenas da minha vida; 3: não sou de falar muito sobre a minha vida; 4: odeio pessoas que se passam; 5:odeio escrotice e falta de educação; 6: não sou simpática; 7: como muito e ainda vou estar com fome 8: amo comprar. 



O amor é como uma ponte, você se arrisca e se joga, depois reza para que alguém esteja lá embaixo para te segurar, mesmo sabendo que as possibilidades de não ter ninguém são grandes. 



Pessoas boas de mais, geram desconfiança. 



De tanto olhar para trás, você vai acabar tropeçando.